Santa ignorância! Que de "santa" nada continha... Leila estava se sufocando, estava cercada por essa humanidade medíocre e hipócrita. Olhara para o leste, sem saída. Oeste, dera dois passos e se sufocara novamente. Norte, tentara passar engatinhando discretamente, mas a ignorância não era tanta nesse quesito, e logo perceberam... Só restara o sul, ela mal tentara, já sabia que seria em vão.
Queria deixar a "doce educação" de lado, e dizer palavras de baixo-calão, como revolta e lição de moral! Queria protestos, ser cara de pau, enfrentar a ignorância com ela própria. A educação a segurava com rédeas fortes. Estava tão cansada de tão baboseira, que as rédeas passaram a ser inúteis, quase desistira da humanidade. Se dizem "seguidores da Bíblia", "adoradores de Deus", mas não conseguiam simplesmente se importar com o próximo e com sua vida? Que tipo de "religioso" você é? Que tipo de pessoa sem princípios, aliás?
Cansada de ouvir sobre política de leigos sem informação, de ouvir sobre a mídia dos próprios manipulados por ela, ouvir sobre preconceito do próprio preconceituoso enrustido, ver pessoas que não dão valor ao que Leila daria a vida para ter. Demasiadamente cansada de ver "filhinhos de papai" entrar na faculdade  mais cara, paga pelos pais e ainda ganharem um carro. Só queria fechar os olhos e sonhar, para se dispersar nesse mundo tão errado que se diz certo, essa evolução contemporânea que parece mais involução pré-histórica. De quem espera a salvação? Jesus que foi apedrejado que nem apedreja o próximo?


Jess era cética, quer dizer quase cética, por ser tão medrosa em alguns aspectos. E certo dia, resolveu testar essas magias sobrenaturais ou pra ela baboseiras que ainda sim a amedrontava. De fato quem testou fora sua mãe Catarina, visitou uma vidente muito desbocada como ela mesma indagou para filha, porém não era aquela com cartas de Tarô, que joga dados na mesa e usa turbante e sim um tipo raro que recebe espírito que lhe diz o futuro das pessoas, o que ela dissera de Jess?Hahahahahaha, só fizera com que ela acreditasse menos nessas coisas... Soltara a seguinte piada: "Jess irá encontrar alguém logo, se apaixonr e até chegar a morar junto".

Ela pensara com si mesma, como uma garota tão diferente, fora dos padrões, com suas neuras e jeitos de ser conseguiria tal proeza? Todos os seus pseudo-relacionamentos deram tão errado durante longos três anos, não aceitaram suas neuras, ela se iludia, não aceitavam a diferença, se iludia de novo, não aceitavam o fato dela ter amigos homens e sair muito com eles, e de novo se iludia, quando ela queria algo de verdade, eles não, quando não queria, eles sim, era um eterno conflito de opostos, sem contar com a pobre distância.

Todo esse blábláblá de "os opostos se atraem" não a convencia na vida real e contemporânea, só na Física isso dava certo. Agora, com tantos conflitos para um simples amor, namoro, nada fluía, com que "milagre" - se é que isso existe - Seria possível morar junto de uma outra pessoa, como união estável? Jess aceitava esse desafio, nem acreditava para se iludir, e desacreditava para desiludir. Vai que tropeça no caminho como nas outras vezes, e tudo dá errado ou vai que escala qualquer obstáculo e se surpreende?


Era mais uma daquelas noites mal dormidas por conta de amores mal resolvidos. Mas não era um amor qualquer, era o amor que deu errado, que ela pôs expectativa e quebrou por inteiro. Porque oensa nisso então? É... Ele voltou, mexendo mais com seu coração e mente do que antes. Ah! Era uma angústia não lhe fornecer a palavra, beijo, toque... Mas que toque! Tentou esquecê-lo, achou ter esquecido, era quase uma certeza, porém todos que beijavam, tocava, se envolvia, em sua mente estava ele, rolava comparações.

Broxava discretamente, se desapontava, pelo simples fato de ninguém chegar aos pés dele. Tesão? O que era aquilo? Sua percepção sexual, seus sentidos mudaram completamente... Ao descobrir o que significa fazer amor de verdade, ao se (re)descobrir. Não havia êxtase, ansiedade e alegria ao pensar em outro alguém. Ele nem imaginar desde que voltou que ela voltara com esse sentimentos e até mesmo ilusões por parte dele, coisas de antes de tudo acabar, se soubesse... Lhe daria um adeus não muito educado, dando o toque de que estava errando de novo. Mas é tudo culpa desse coração desmiolado, com camisa de força e ainda não interno nos fundos de si mesma. Assim, enlouquecendo a dona, com intuitos de levar a mente junto. Era muito mal resolvido para um amor pelo simples ato de amar.


Ficara um tempo longo dispersa de suas artes e dons, estava sem rumo dento de suas próprias neuras. Cansada de batalhar, como se estivesse com ferimentos leves que a levassem a acreditar que eram sérios a ponto de não ter como continuar a guerra. Eram questões de existência, estudo, segurança e insegurança, e se realmente conseguiria chegar aonde tanto desejava. Parecia só focada no ócio, é, ócio do entretenimento tecnológico, tantos Gadgets, meio de entretenimento, de uma forma "glamourosa", que então ela se perdeu de tanto procrastinar. 
Porém, sempre há um porém... Poucos minutos atrás, jogada em sua cama, envolvida com a preguiça e o sono, tomou uma decisão de jogar uma água no corpo, para despertar desse mau e afugentá-los, não achara que teria êxito - pois teve. - Mas não foi só isso que lhe deu ânimo, sua visita na faculdade dos seus sonhos fez com que tudo mudasse, percebeu o que realmente queria, e, de fato, era aquilo. Aquele lugar a pertencia e ela pertencia àquele lugar.  Achou um sentido, um foco, para seguir.
Voltara a ter vontade, se inspirar, lembrar do seu lado artístico, a se esforçar, estudar com foco e reabrira seu blog, seu estudos, sua mente, coração, e alma para o que estava por vir. Agora, tinha certeza e confiança suficiente pra vencer.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...