sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Mais um feriado qualquer

Entediada naquela noite de carnaval. Esperava emoção para os próximos dias, mas sua expectativa fora de água abaixo. Já sabia que isso ia acontecer, sempre acontece... Marcela é a rainha do pessimismo, e quando pula só para molhar os pés nas águas do otimismo, se afunda. Seus planos? Arte. Ler, escrever, ler, estudar, desenhar, trabalhar o lado criativo. Já passou o dia fazendo trabalhos artísticos, de design, ou como queira chamar, para a faculdade. Sua tendinite começara a atacar depois de sua teimosia de tentar fazer três trabalhos em poucas horas, e muito esforço. Se sentia só, com os seus amigos da esquizofrenia, que lhe assustavam no escuro. Se cobria com solidão em sua cama... O amor estava um pouco distante, de uma maneira que era para ter acostumado, era assim sempre. Porém ficou com uma péssima mania de positivismo, expectativa e otimismo.. O que de fato para Julia não era bom, preferiria estar preparada para as coisas mais sórdidas do mundo e do ser humano, preferia não se surpreender, seja com o bom ou com o mal.
Agora, se entendiava em suas palavras, suas músicas favoritas, os brilhos e a falta dele, no "não, tudo bem" "já sabia", em seu jeito de ser, seu corte de cabelo, seus desenhos e suas inspirações. Eram momentos breves de emoção, de ansiosidade, de tédio nulo, piscava e tudo voltava de novo. Ela queria dar uma de Freud e modificar um pouco a teoria de Schopenhauer :
 "Nós estamos sempre entediados, com pequenos picos de emoção".

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Aqueles melhores anos

Rita acordou nervosa e ansiosa naquela manhã, mal consegui se alimentar e suava frio. Fora seu primeiro dia na faculdade, não havia muita expectativa pela instituição, mas sim pelas pessoas, se iria se enturmar ou não, se ia fazer amigos ou não. Eram muitas dúvidas, muitas perguntas, que só teria resposta quando posse o pés na universidade.
Chegou vinte minutos adiantada - a aula começaria as 9:25- Ao chegar , na porta e na escadaria via vários estudantes coloridos e roupas cortadas pelo temido trote. Rita desviou, e conseguiu fugir desse ato horrível. Perguntou onde era sua sala, e quando achou e foi abrir a porta... Estava fechada. Passou a espera num dos bancos de madeira observando e lendo "a culpa é das estrelas". Observou garotos crianças e garotas adultas até demais, de maquiagem, salto, nariz empinado, e achando estar num desfile de moda.
Respirou fundo, respirou coragem e foi falar com uma garota diante de si, em sua frente, que estava tão sozinha quanto ela. Sentiu um ar de amizade, a garota era do México, com um sotaque tão fofo, para Rita, fascinante. Já respirava o seu sonho, já respirava moda. Na sala, teve sua primeira aula, com o primeiro professor, do primeiro dia da faculdade. Foi tudo tão bom, aquele "bom demais pra ser verdade", sabe? Tudo aquilo fez com que ela sorrisse. E percebeu que seria uma das poucas coisas que conseguiriam fazê-la se sentir assim.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Only promises.

"Só terei um filho, se for com você" "vou ficar com você pra sempre" "vamos nos casar" "nunca vou te abandonar" "sempre estarei do seu lado" "estarei aqui sempre pra te ajudar" "faço tudo por você" "prometo nunca mais acontecer" "nunca mais vamos brigar" "te amarei incondicionalmente" "nunca vou te trair" "nunca vamos brigar por nada" "Nunca vou terminar" "nunca vou dar um tempo" "te salvarei de tudo" "vou mudar" "não vou mudar" "você sempre será única na minha vida" "a garota que mais amei" "nunca vou te esquecer" "sempre vou te apoiar nas suas escolhas" "vamos contar isso para nossos filhos e netos" "continuaremos amigos" "Não perderemos contato" "a distância não vai estragar o que a gente tem" "nunca olharei outra pessoa a não ser você" "não desejarei outra a não ser você" "vamos nessa juntos" "vamos morar juntos" "nossa casa" "(coloque um planejamento para daqui 4 anos)" "essa música vai tocar no nosso casamento" "Não vamos deixar ninguém estragar nosso relacionamento" "nada vai fazer ele parar"  "não vou mais sentir ciumes" "vou sentir algum ciumes" "sempre te darei flores" "nunca esquecerei a data do nosso aniversário de namoro" "nunca esquecerei a data do nosso aniversário de casamento" "Vou te ajudar no seu sonho" "Vamos denunciar aquele idiota" "vou me divorciar dele, ele me faz mal" "nunca mais vou deixar ele me bater" "vou na delegacia da mulher" "Não vou mais beber" "Não vou mais fumar" "Não vou mais me drogar" "prometo cuidar da saúde" "sempre vou usar camisinha" "vou no médico" "seremos amigas pra sempre" "Melhores amigas pra sempre" "Sempre usaremos esse colar de melhores amigas" "Depois que a escola acabar, não vamos perder o contato" "Nunca vou me deixar ser traída" "Ele nunca vai encostar um dedo em você" "Um homem não vai destruir nossa amizade" "nunca vou beber" "nunca vou fumar" "nunca vou experimentar" "nunca vou beijar garotas" "nunca vou beijar garotos" "não vou olhar mais na sua cara" "Se fizer isso de novo, acabou" "vou te ajudar em todos os trabalhos na faculdade" "não vou te trocar por futebol" "não vou te trocar por jogos" "Não vou te trocar por nenhuma garota" "não vou te trocar por nenhum garoto" "vou ser seguro" "vou ser segura" "sempre vou acreditar em você" "Não vou tomar anti-depressivo" "Não vou tomar remédio pra dormir" "Não vou me cortar" "Eu vou melhorar" "eu vou sorrir" "eu vou esquecer" "eu vou perdoar".


Infelizmente, para algumas, felizmente para outras, mas são só promessas. Só palavras. Algum dia todas vão se realizar?Não hoje. Não agora. Talvez no futuro. Talvez.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Oh!It´s love ...

Ouvia uma música calma e sentimental pelo ipod, enquanto pensava em seus atos e escolhas, revivendo belas lembranças, voltando a certos momentos. Sentia um sorriso no canto da boca e coração acelerado ao olhar aquele colar em cima de seu livro favorito, o colar que ganhou do amor da sua vida, escrito "Love" com pedras reluzentes. Para Larissa era como um amuleto, da sorte, do amor, em que sentia ele por perto, que não há com o que se preocupar, tudo ficará bem.
Porém, há um tempo ela voltou a ter aquela chata alergia ao que não era prata/ouro, então seu pescoço coçou, coçou, coçou, era um incômodo tão grande, que o tirou para deixar só de enfeite, para olhar. Seu pescoço ficou vermelho, cheio de bolinhas. Ela pensou que aquele incômodo estava relacionado aos que ainda enfrentaria daqui pra frente. Mas a partir de agora, não se importara, não seria fraca, enfrentaria esses incômodos.
Colocou o colar em seu pescoço para sentir seu amor em você, e aquilo deu uma paz. Seu ponto de paz.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Defeituosa.

Defeituosamente sentimental. Defeituosamente à flor da pele. Defeituosamente cheia de fobias não lógicas. Defeituosamente carente. Defeituosamente incerta. Defeituosamente agir sem pensar, amar sem pensar. Defeituosamente amante, sincera. Culpada, pelo o que fez, pelo o que não fez e que fará. Defeituosamente errônea. Erros, erros, erros e erros. Um atrás do outro, do lado, do outro. Defeituosamente ajudante que só atrapalha. Defeituosamente chorona, chorona e chorona. Saía do seu quarto para sua mãe não a ver chorar. Tremia de dor, dor de mágoa, dor de culpa, tantas dores. Se enjoava de nervoso, se enjoava da vida. Defeituosamente depressiva. Defeituosamente com senso de justiça. Defeituosamente ela mesma. Defeituosamente Renata.

Mas ah! Seu sorriso era tão lindo e contagiante, foi a primeira coisa que me conquistou, e o som da sua risada? A mais gostosa e feliz que já ouvi. Sua voz doce, tão doce, que quase enjoava, mas era impossível enjoar, era quase aquelas barras de chocolate em que fica viciado, aquela favorita. E Renata era a minha garota favorita, aliás, ainda é. Mal sabe ela que seu cabelo é tão lindo, seu corpo, até seus medos que ela acha estranho, me atraem. A conhecer me atrai, cada pedaço dela é importante, cada história, cada trauma, cada lágrima, e quero participar delas. 
Mal sabe ela que é a garota mais perfeita do mundo escondida num pano de insegurança
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...