sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Carta ao pai.

Pai,
 na sua idade não era preciso ouvir sermões, dos pais e nem mesmo dos seus próprios filhos, mas ainda ouve bastante né? Não era para existir brigas e discussões bobas como se fosse um adolescente inconsequente, nem seus filhos estão nessa fase, porque justo você deveria estar? Eles estão em fase de amadurecimento, virar adultos. E você? Você já é um adulto! E com a sua vivência deveria estar tão puro, sábio e com a energia boa, como você mesmo diz.
Todos os orgulhos, coisas que lhe fazem mal, ódio, raiva, intolerância, nervosismo, não saber ouvir, não aceitar a verdade, não conseguir lidar com idéias diferentes, ser chato quando não deve  pense como seria se alguém lhe chateasse no meio da sua meditação? Tudo isso, tinha de ter sido deixado pra tás, nessa jornada chamada vida. Aí sim, seria um sábio, ou qualquer coisa que dissesse.
Você é o exemplo para os seus filhos, se for intolerante, eles não acharam problema, não acha?
Você é tão teimoso quanto um bebê que não entende nada da vida, mas a tristeza é que você entende dela. Isso faz mal tanto para você, quanto para os outros! Põe a mão na consciência uma vez, ninguém deveria estar te dizendo isso, mas essa é minha última tentativa.
Segura o choro! Eu sei que quer chorar que nem um bebê e sair pedindo desculpas. Conselho: Não 
adianta, tem bolas de neve enormas dentro de cada um que tem machucado, desculpa não conserta.
Podia perder meu tempo, dizendo para você mudar, fazer uma terapia, mas isso só vai lhe ofender a ponto de arregalar os olhos e bufar que nem um touro bravo.
Olhe ao seu redor, observe, todos fogem de você, ninguém aguenta esse seu jeito, eu tento lhe fazer um agrado para ficar uns dias ao seu lado, mas me dói, me machuca, eu sofro. Não aguento.
Dizer "Eu te amo" não adianta. 
Dizer "Você vai sentir falta, menina" irritado não adianta.
Cresça, e amadureçam como seus filhos!
Alcance a paz que tanto pega, mas quem está ao seu redos não enxerga.
Não é por acaso, meça seus atos.

, de sua filha.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Primeiro bloco.

Yasmin odiava carnaval, porém o amor por Beto era maior. Nisso, fez um feito de amor e topou o desafio, ir num bloco... Em sua companhia. Ela não dava nada por aquele lugar, acreditava que ficaria de cara emburrada e entediada o tempo inteiro. Ficou assim... Na primeira meia hora somente. Afinal, os amigos do Beto estavam lá também, na tentativa de arrancar um sorriso dela, e não é que conseguiram?
Alguns conseguiram com mais êxito fazê-la se divertir, outros, nem tanto. Ela fez a descoberta de que aquela pessoa que na sua mente a odiava, na verdade era só fruto de sua imaginação, de ódio nada tinha. Pode rir, sorrir, conversar e destruir alguns conceitos mal encarados que tinha visto como verdade.
Houve muita paixão, beijo e eu te amos ente esse casal recém-chegados. Houve mais diversão que o previsto. Choros de alegria, de tanto rir, abraços confortantes, dividir uma canga com alguém por causa do frio, perder o lugar onde o carro está estacionado, pegar chuva, mais chuva, um dilúvio! Passar pelo bloco mais uma vez no meio dessa procura insana, dar voltas e voltas, finalmente achar o carro!
Se sentir em outra realidade, que demora, nossa que demora! A gente tá perdido? Quantas horas passaram? Meu deus, passou umas três horas! Haha, na verdade, foram só quinze minutos. Risadas e mais risadas no meio dessa realidade louca.
Até esse ponto muito divertido e aventureiro, é de assumir... Mas em pouco tempo isso muda, Beto começa a se sentir esquisito, estranho e pede um tempo pra descansar. Nisso, Yasmin está morrendo de frio, a janela do carro não pode ser fechada, e se sente encurralada por essa situação.
Foram duas horas de "Deixa eu descansar só mais um pouquinho..." até ela pedir um esforço para sair do carro. Ele põe o pé para fora do carro e passa mal. Lá se vai mais um hora de descanso para Beto.
Nesse ponto da história, Yasmin surta e pede a chave de casa, porque precisa de um banho quente. Ele não dá a chave, e sim se esforça novamente, a ponto de conseguir entrar no quintal... E passa mal. Yasmin, encolhida, e os pais de Beto vem ajudá-lo.

Dá para ficar dividida se foi bom ou não esse bloco não é? Muitas aventuras opostas em um dia só!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...