segunda-feira, 27 de abril de 2015

You save me, again.

Não bastava ter me salvado do fundo do poço que eu estava, me apresentar universos desconhecidos, me ajudar no amor próprio e confiança, ajudar a enfrentar qualquer obstáculos que existir pela frente, não me deixar abalar pelas pessoas ao meu redor, acreditar em mim mesma me ensinar o que é ser amada de verdade...Você o foi meu herói mais um dia, me salvou. Parece coisa boba, esses detalhes do dia, mas pra mim significa tanto,  nem os amigos mais intimos e familiares mais próximos fariam por mim, creio eu. Muitos diriam "Se vira", "não é da minha conta", ou ser direto dizendo que não faria isso por mim, que tem coisas mais importantes. Você não, é diferente de tudo que já conheci e presenciei, a bondade em pessoa, o amor transbordante. 
Você fez questão de me ajudar quandoeu não sabia onde estava, me perdi pegando o ônibus errado e estava chorando numa rua que pra mim, parecia desconhecida. Não ficou bravo, não achou que eu te atrapalhei e até soltou "você podia se perder todo dia pra gente se ver né?" com um sorriso de lado. Sabe, acho tão doce e cativante tudo que você deixa de lado de por mim, pra me ajudar, pra cuidar de mim... "Mesmo se não desse pra te ajudar, eu viria do mesmo jeito. Eu nunca iria te abandonar". 
Enquanto eu passei o dia me desculpando por atrapalhar sua rotina e agradecendo por ter me ajudado, você simplesmente foi você, e isso sempre vai ser a coisa mais linda do mundo. Meus olhos brilham por você, eu brilho por você.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Blackout

Faz tempo que não escrevo algo que tenha você, não é? Relaxa, que esse será o ultimo. Sinceramente, tenho pensado bastante ainda no que você me fez. Em tudo. Chega a ser desagradável para mim, a quem está ao meu redor, a vida que construí no momento. Logo, eu pretendo reunir o todo, desabafar, para me desligar de vez, apagar da minha memória, de uma vez por todas.
Você mentiu, mas não foi uma mentirinha boba, você mentiu de todas as formas possíveis. Dizia cada absurdo, e eu acreditava e acreditei. Um atrás do outro. Tinha todas as profissões em um só, trabalhou com eventos de show, barman, informática, jogador profissional de jogos, e até empresário já foi. Conhecia vários artistas, bandas, e os seus contatos imprescindíveis. Duas faculdades não concluídas, gastronomia e psicologia. Tentou comprar sua própria casa três vezes e sempre dava algo errado por pura coincidência, numa inclusive fora roubado dentro do seu próprio condomínio. Tinha um carro, vendeu, comprou outro... Nunca o vi. Ganhava mais de oito mil por mês, processou uma empresa e tecnicamente ficou milionário. 
Fez uma tatuagem de graça com uma amiga que dizia que era lésbica, e me proibiu de ir junto porque precisava pensar. Inventava desculpas pra não me ver, inclusive doenças sérias. Brincou com meu sonho, dizia me dar uma empresa de moda. Brincou com a sua familia, inventando histórias absurdas, se dizia alérgico a cigarro mas fumava escondido. Se dizia depressivo, esquizofrênico, com síndrome do panico e claustrofobia. Tudo isso, com apenas vinte e três de idade.
Fui a pessoa mais ingênua, apaixonada e burra. Sim, caí em todas suas mentiras, nunca esqueci. Me magoei. Mas decidi me desvincular desse ódio, rancor, mágoa e tudo de ruim que ficou impregnado em mim.  É o fim. Preciso viver minha vida, sem relembrar toda a confusão que passei, e substituir por um branco, um apagão, seguir em frente sem medo de confiar na palavra de alguém.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...