terça-feira, 14 de julho de 2015

Homofóbica dentro do armário.

Não sou de assistir novelas, mas as notícias correm pela nossa querida rede internet e escândalos mais ainda! Quem não ficou sabendo do burburinho que a novela Babilônia fez? Não sabe de qual novela eu estou falando? Aquela que tem duas senhoras que se beijam e maior problema das pessoas é porque elas são senhoras e se beijam, sabe? Porque idosos não se amam, pelo pensamento dessas pessoas...
A família tradicional brasileira, pessoas mais velhas e os próprios idosos infelizmente ainda concordam com esse absurdo dessa polêmica. Ainda existe o discurso de que é uma escolha, não tem nada a ver com genética, que não é normal, classificações de pessoa normal e não normal e muitas dúvidas na cabeça dessas pessoas. Já participei de conversas com todos esses temas juntos e é dela que vou tratar.
A conversa começou com uma senhora dizendo o quão achava um absurdo aquelas duas senhoras se beijando na televisão, junto do argumento que o problema não é elas serem lésbicas, mas sim idosas lésbicas... Como se a pessoa não envelhecesse, como se fosse só uma fase de um jovem rebelde querendo irritar a mãe. Meu argumento? Perguntei se ela não envelheceu com que seu marido, se eles ainda se beijavam e qual era a porra da diferença (sem o porra). Só se ouviu silêncio, até que a situação podia sim piorar! Começar a dizer que não era normal mas apoiava, já foi em bar gays e até deixava pessoas que não são normais entrarem na casa dela... Se fosse homofóbica, nem deixaria. Nossa que belo argumento!

Que vontade de partir para agressão, mas haviam dois empecilhos: Ela era uma senhora, e (in)felizmente fazia parte da minha família.

Femi(ni)sta?

Feminismo. Assunto Polêmico certo? Só não mais polêmico do que a feminista mais desligada e burra que já conheci. Amo feministas, aliás, sou uma feminista com muito orgulho... Se atente, eu disse feminista não femista! Hoje em dia há uma leve confusão entre os dois. Não há problema em ser feminista, aliás, é só amor, desde que se informe e não saia soltando frases prontas que ouve por aí ou simplesmente falar de opressão como não-opressão ou vice versa.
Sempre odiei esse femismo, SIM, femismo que ataca os homens, prega um monte de asneira generalizando e com um escudo na defensiva, ugh! Esse femismo que silencia, mas não pode ser silenciado, e pior de tudo se diz feminista, ai que vergonha. Mas vamos ao que interessa, a feminista (Ou seria femista?) mais desligada e burra que já conheci. Eu poderia crucifica-la por diversas coisas erradas ou bobagens, mas a minha paciência foi levando, empurrando com a barriga sabe? Até que eu explodi e me senti até ofendida, e pensando COMO? VOCÊ E A SUA IDEOLOGIA? Você e a sua defensiva? Fiquei muito indignada.
Para começar a explicar o acontecimento catastrófico, lembrarei de um texto que vi passeando pela nossa querida internet, onde uma moça tinha ido para algum dos países em que as mulheres usam burca, nesse texto ela dizia que conversou com a mulher que usava burca pois estava muito calor e perguntou como conseguia, se não podia usar saia, roupas mais confortáveis para o clima. E o que a mulher respondeu? Falou da depilação, se doía tanto por que a outra fazia, mas que ela podia não fazer não é? Mas o que aconteceria culturalmente falando? Seria mal vista, excluída, apedrejada... Exatamente o sentimento da moça com burca.

Compreenderam a opressão que está imposta? A cultura? Que você é obrigado sem perceber? Que o livre arbítrio é arrancado de você pelo seu medo de não fazer parte da sociedade? Então, a feminista que eu falei no começo simplesmente falou a maior bobagem em relação à isso... Num bate papo qualquer entre amigos chegamos no assunto depilação, houve a brincadeira de depilar um homem para ele sentir a dor e o sofrimento, e lá vem a frase “Ué, você não é obrigada a se depilar, se você não quiser é só não se depilar, fica toda com pelos”. A resposta? “Éaar...” e uma raiva subindo dos pés à cabeça, parte por parte, osso por osso.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...