domingo, 20 de janeiro de 2013

Redescoberta do que é paixão.

Rebecca queria saber como era se apaixonar de verdade depois de tanto tempo em conserva. Mas era uma paixão real, com desejo, sem frescuras e padrões da sociedade. Era uma coisa diferente e forte. Haviam barreiras maiores do que se imaginava. Como também haviam fronteiras entre eles. O que deixava tudo mais  difícil. Porém, havia aquela adrenalina, aquela vontade de se ver. Expectativa de ver o outro, de abraçar, de conhecer lugares juntos e as suas terras natal. Sem contar com os planejamentos que faziam de quando se vissem e ficassem propriamente juntos, podia parecer um sonho, mas para aquele casal parecia que uma hora ia funcionar.
Além daquela paixão havia uma amizade e uma paixão passada de cerca de quatro anos. Um tempo sem se falar, um rumo diferente, mas sempre se reencontravam e voltavam a se falar. Rebecca as vezes tinha medo de tudo isso, como se fosse loucura da sua cabeça e tudo aquilo não existisse. Era esquisito, uma pessoa que está tão longe saber tanto, entendê-la tanto e aceitá-la. Do mesmo jeito que elogiava seus pontos fortes e fracos também, e dizia coisas que outro alguém jamais fez. Se sentia bem como nunca, mesmo com ele longe, a quilômetros de distância. Parecia impossível, mas para ela era.
Sentia calor em seu corpo todo ao falar com ele, ao pensar nele. Borboletas no estômago, sorrisos bobos de um lado para o outro, e se perguntava se aquilo estava certo. Fechava os olhos e imaginava o encontro dos dois, mais belo do que nunca. Imaginava o seu sorriso, seu olhar, sua mão encontrando com a dela, seus lábios se encostando.
Miguel, esse era seu nome. Belo nome, belo homem. Um homem de caráter, de idéias fortes, inteligentes e que sabia discutir sobre qualquer assunto, dos mais simples aos mais polêmicos. Dava valor ao amor e as pessoas. Tinha algumas confusões que só o faziam mais único. Uma voz maravilhosa e ainda assim dizia não saber cantar. Ficava indignado e magoado com boa parte das ações do mundo, junto de Rebecca. Tinham tantas coisas em comum, e tantas coisas incomum. Foi inocente aquela paixão, simplesmente aconteceu, igual a quatro anos atrás, que não faziam idéia do estava acontecendo.

2 comentários:

  1. Obrigado pela vizita no meu blog e obrigado por seguir.
    Belos exto e blog e belas palavras, gostei do texto e me identifiquei gostei volto mais evzes ;*

    ResponderExcluir

Leia as Regras:
Todos os comentários são lidos e moderados, antes de qualquer coisa. São publicados os que respeitam as regras:

- Pode haver críticas construtivas, são sempre bem vindas, mas nada de xingamentos.
- Não venha no meu blog somente para colocar o seu link e propaganda, se eu me interessar eu vejo o seu blog.
- Comente coisas que tenham a ver com o texto.
- Nada de links de propaganda de loja, canal e afins.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...