É sério, eu sou um gato, tenho sete vidas, mas infelizmente quatro já se foram. A primeira vida foi-se quando eu era bem pequena, devia ter uns nove ou dez anos, e estava viajando com uma tia minha, e o meu tio dormiu no volante, e caímos a ribanceira. Como eu fiquei? Intacta, sem nenhum corte, sem nenhum hematoma. Nasci de novo.
A segunda foi quando eu caí da escada da minha casa nova quando fazia apenas uma semana que eu tinha me mudado. Dessa vez não fiquei intacta, levei oito pontos na testa e fiquei cheia de hematomas, mas o mais incrível não quebrei o pescoço e morri e muito menos fiquei paraplégica. Já estava na minha segunda vida.
A terceira foi em um dia chuvoso em que eu estava com meu namorado, fomos para dentro do carro dele, e assim que nós sentamos no carro e fechamos as portas BOOM, um raio cai no carro, a gente ouve um barulho forte e um clarão, e ficamos intactos.
Já a quarta e espero que a ultima vez que tenha que gastar minhas vidas pois só restam 3, foi recente, eu estava indo pra faculdade como sempre, ia atravessar um estacionamento do hotel, e o carro veio pra cima de mim, fiquei presa embaixo do carro, e um monte de pessoas levantaram o carro pra me tirarem de lá. Fui pro hospital, raio x disso, tomografia daquilo, por aí vai, nada quebrado, fraturado, nada. Fiquei de presente com três pontos na testa, é, estou colecionando, e hematomas, e uma dor quase insuportável no joelho do impacto. Achei que ia morrer, de verdade, eu vi minha vida passando pelos meus olhos, pelo meu pensamento. E saí viva.


Sabe, nunca sonhei e nem imaginei estar na situação que estou agora. Era impossível, nem passava pela minha cabeça, até te conhecer... Te conhecer foi a coisa mais gostosa da minha vida, e cada minuto, hora e dia perto de você me trazia mais e mais alegria. Cada pedacinho de você era mais interessante do que que eu imaginava. Íamos para vários lugares, ríamos, passávamos a noite no seu carro, adrenalina total.
Se passou um mês, dois, três... Logo, pisquei e tinha passado um ano ao seu lado, pisquei de novo, dois anos. Meu deus, dois anos, ao mesmo tempo que passou tão rápido parece que já estou uma vida  ao seu lado. A intimidade é tão nossa, é tão boa, a gente se conhece tão bem. Posso falar em alto e bom tom que achei alguém pra vida inteira, e esse alguém é você.
Você sabe que eu to falando de você né amor? Meu dia muda só de estar ao seu lado, cada momento é único. Precisa dizer o quanto te amo? Logo logo vamos piscar e vamos estar morando juntos, tendo filhotes, e tendo uma família muito feliz, e ah, um cachorro também.



Olha, eu acho que voltei a me amar, e não é que é mais gostoso do que quando o amo vem do outro? Minha cabeça não quer descansar, quer passar 24 horas se amando: Se amar de todas as maneiras possíveis, tomar um banho e lavar a alma.
Quero escrever, me inspirar, fazer coisas que eu gosto, desenhar... Ah, desenhar! Redescobri meu dom com papel e lápis na mão.
É tão belo, tão orgulhoso! E a música? Me inspira, me acalma, me traz emoção. Nota-se que estou finalmente sentindo a flor da pele? Mas agora só tem um problema... Como faço pra dormir depois de tentar um antialérgico e remédio para insônia e nada?


Você tem que fugir, comer e desaparecer; Provar inexistência ao lado do próximo para que outro viva de maneira plena e feliz, para que sua existência tenha valor. E você? Se esconde debaixo da cama e das cobertas, no armário e nas gavetas. Esconde seu pé, sua mão, seus braços e pernas, seu olhar, seu dizer, seu sentimento e sua respiração... Se esconde por inteiro, foge com todas suas forças e deletas as lembranças. Se esconde nela mesma, dentro de si, dentro de um baú que vive num buraco negro chamado coração.
Ela sente que existir só faz mal aos que estão ao seu redor, cada dia dobra, triplica e quadriplica o número de pessoas mais felizes com a sua inexistência, seu esforço de ser invisível, seu esforço de suas dores estarem silenciadas e lágrimas contidas.
Por fim, guarda para si as dores, as mágoas, falsa esperança e aos poucos deixa de existir, e de sofrer, quem sabe?


Ela não entendia, por isso ignorava e nem perguntava, era também cheia de críticas e ordens pois esquecia de entender. Usou-se da frase "Que estranho, eu nunca tive essas coisas" lidando como se fosse uma gripe, febre ou até mesmo "fase" adolescente. Junto disso, criticava minha memória com frases "Você nunca sabe onde está sua chave, quando vai aprender?" e "Você não lembra de nada, meu deus!" sem saber que minha memória de fato estava afetada e eu estava fazendo o possível e impossível para melhorar isso.
Outro dia, na verdade vários dias, reclamou que eu só ficava no meu quarto ou que dormia o dia inteiro e isso era um absurdo... Mais uma vez ela esqueceu de entender, ela não entende que eu não fico o dia todo no quarto porque sou uma inútil ou durmo o dia inteiro porque sou preguiçosa, é somente meu corpo reagindo a coisas que minha mente não pôde suportar.

Adoraria se ela me perguntasse "Como está se sentindo hoje?"



Pela primeira vez na vida, digo segunda na verdade, eu estou ficando animada e sorridente com a faculdade, ouvindo musicas para dançar a cada passo que dá certo. E se algo dá errado? Eu não ligo, só faço uma reviravolta até dar certo e fico feliz novamente! E como dá certo viu? Acho que a maneira como estou levando as coisas faz com que elas me levem com felicidade também. E o fato da faculdade ter sido tanto maçante semestre passado faz com que esse esteja brilhante.
E a serotonina sobe, e o prazer em fazer as coisas que eu gosto também. É tão magnifico que se um espirro for importante pra mim eu vou dar risada, pulinhos de alegria e dançar de tão feliz, porque aquilo me faz bem... Fazia um bom tempo que não me sentia assim, motivada pelas coisas a minha volta, motivada por mim mesma, e até mesmo entediada quando não tenho nada da faculdade pra fazer por exemplo... É a faculdade tá sem uma parcela enorme da minha felicidade, o que eu julgaria impossível depois de tudo que já aconteceu.
Eu quero estar ativa, dinâmica, fazer e fazer coisas, ok que ainda fico um pouco ansiosa para que dê certo logo e nada dê errado, essa neura que sempre tive e acho bem difícil de passar. Mas eu estou enxergando o mundo de uma maneira que nunca enxerguei antes, com o bom e o ruim, sendo que o bom é mais importante e relevante, e o ruim? Vamos transformar em algo fantástico!


Eu sou aquele que você sempre julgou, achou que estava errado, o dono da verdade, mas na versão que você ama. Aliás, ama e odeia ao mesmo tempo, sonho e pesadelo.
Sou um sábio nao graduando preso na area movediça do ensino há anos, porém sou sábio, o mais sábio de todos. Sou mais sábio que o seu professor graduado, pós graduado, mestre e doutor. Professor também com experiência de 20 anos academico e 50 de vida, poliglota e intercambista.
Mas pra mim esses titulos não são nada e não fazem dele alguém. Ele é um generalista, não sabe nada de exatas pra ousar falar de porcentagem ou pesquisas feitas na folha, quantitiva ou qualitativa, generalista babaca, generalista escroto, burro! Já ouviu falar que a margem de erro é muito pequeno?
Pobre sábio, se diz tão sábio mas não sabe o foco, não sabe fazer a pergunta certa e muitos menos entender a diferença quando se fala de cada ciência, não sei se choro, esmurro um travesseiro ou fujo pra todo sempre.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...